MCA Blog
Alterações Climáticas Planeta
Inovação

Vencer as alterações climáticas através da Inovação

29 Oct 2023 | 7min leitura

Inovação: um aliado fundamental 

As alterações climáticas são uma ameaça global que exige ação imediata e coordenada. À medida que o planeta enfrenta alterações climáticas cada vez mais sérias e impactantes, a inovação tornou-se uma ferramenta vital para salvar o planeta.

Neste artigo, exploraremos como a inovação está a ser usada de várias maneiras para combater as alterações climáticas, com exemplos reais que demonstram o poder da criatividade humana em prol do ambiente.

Mitigação e Adaptação

Até recentemente, o mundo tinha focado os seus esforços em tentar limitar as emissões de CO2. A comunidade internacional tem vindo a diversificar os seus esforços para impulsionar políticas de adaptação e de mitigação das mudanças climáticas. Este conjunto de medidas, tem como principal objetivo minimizar os efeitos da emissão de CO2 para a atmosfera, cujas consequências já estamos a sofrer em diferentes partes do planeta.

Os cientistas do Painel Intergovernamental sobre as Alterações Climáticas das Nações Unidas preveem sérias consequências se não forem tomadas medidas em breve para inverter os efeitos do aumento das emissões de gases com efeito de estufa – a principal causa das alterações climáticas. De acordo com a NASA, existem duas abordagens para responder às alterações climáticas: mitigação e adaptação.

A mitigação e a adaptação são duas estratégias distintas na abordagem das alterações climáticas. A mitigação refere-se à redução das emissões de gases de efeito estufa e à limitação do aquecimento global, através de ações como a transição para energias renováveis, o aumento da eficiência energética e a proteção de florestas.

Por outro lado, a adaptação centra-se na preparação para as mudanças climáticas inevitáveis, visando minimizar os impactes adversos, ajustando-se a condições climáticas em evolução, como a construção de infraestruturas resistentes a inundações ou a implementação de sistemas agrícolas mais adaptáveis.

Ambas as estratégias são complementares e fundamentais para enfrentar o desafio das alterações climáticas, sendo que a mitigação se concentra em reduzir a causa do problema, enquanto a adaptação lida com as suas consequências.

Tecnologia e inovação na vanguarda da acção climática

A ação climática está presente em todas as discussões dos líderes mundiais. Como já dito anteriormente, a tecnologia e a inovação são chaves para chegar às soluções desejadas, dentro das metas de execução dadas. De seguida identificamos cinco tecnologias críticas para mitigar as alterações climáticas.

  • Captura, eliminação e armazenamento de carbono

Num enfoque especial na sustentabilidade tecnológica, é evidente que a tecnologia desempenha um papel fundamental na conceção de soluções para a construção de uma economia global mais robusta. Além disso, as empresas tecnológicas estão a transformar-se para se tornarem em agentes de mudança. 

O Painel Intergovernamental sobre as Alterações Climáticas (IPCC) é o organismo das Nações Unidas que avalia a ciência relacionada com as alterações climáticas. O relatório do IPCC de 2022 sobre as alterações climáticas sublinhou que, devido às elevadas taxas de emissõesde CO2, tornou-se imperativo atingir a neutralidade carbónica, ou seja, produzir energia 100% verde.

  • Fontes de energia sustentáveis

A necessidade de fazer a transição para fontes de energia sustentáveis irá impulsionar uma grande quantidade de inovações futuras. Em novembro de 2021, a StartUs Insights, uma empresa de ciência de dados e informações, analisou 5.152 startups e scaleups para obter dados sobre os principais avanços.

A pesquisa revelou que os impactes mais significativos surgiriam de energia fotovoltaica avançada, inteligência artificial, big data, sistemas de armazenamento de energia distribuída e energia hidroelétrica. Seguem-se a energia eólica, a bioenergia, o hidrogénio verde, a robótica avançada e a blockchain. 

  • Armazenamento de energia e baterias

As baterias recarregáveis oferecem um meio eficiente de armazenar eletricidade renovável em redes de várias escalas e de alimentar veículos elétricos, bem como uma multiplicidade de dispositivos digitais. De acordo com a Royal Society do Reino Unido, as novas baterias de iões de lítio permitirão reduzir os custos, prolongar a vida útil, melhorar a densidade energética, aumentar a segurança, acelerar o carregamento e aumentar a sustentabilidade, a reciclabilidade e a longevidade.

São vastas as variantes que se preveem usar em baterias da próxima geração, porém as principais que se utilizam neste momento são as NMC (Niquel, Manganes e Coblato) e as LFP.

  • Soluções inteligentes para casas, edifícios, cidades, redes e agricultura

O relatório de 2022 do IPCC sobre as alterações climáticas sublinha, também, o papel das tecnologias digitais na contribuição para a atenuação das alterações climáticas e para a realização de numerosos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Tecnologias como os sensores, a Internet das Coisas (IOT), a robótica e a inteligência artificial podem melhorar a gestão da energia em todos os sectores, reforçar a eficiência energética e promover a adoção de várias tecnologias de baixas emissões.

No entanto, o relatório também chama a atenção para as potenciais desvantagens de vários sectores “inteligentes”, incluindo o crescimento do consumo de dispositivos digitais, o aumento dos resíduos electrónicos, a deslocação de postos de trabalho e o agravamento do fosso digital. O IPCC sublinha que a tecnologia digital só contribui para a descarbonização se for gerida de forma adequada.

  • Monitorização remota das emissões de gases com efeito de estufa

Para discernir prioridades e formular políticas, é essencial dispor de informação fiável e atempada sobre as emissões de gases com efeito de estufa (GEE). É aqui que entram em ação iniciativas como a Climate TRACE, uma associação global sem fins lucrativos, que emprega inteligência artificial e aprendizagem automática. Têm como objetivo analisar dados de mais de 300 satélites, mais de 11.000 sensores (no ar, em terra e no mar), analisando, também,dados públicos e comerciais.

Isto permite-lhes fornecer um inventário global e independente das emissões de gases com efeito de estufa, principalmente através de observação direta.

Mapa de emissões de CO2, de Portugal, via Climate TRACE
Mapa de emissões de CO2, de Portugal, via Climate TRACE

 

A inovação desempenha um papel crucial na luta contra as alterações climáticas. Os exemplos mencionados demonstram como a criatividade humana está a ser usada de forma eficaz para desenvolver soluções que ajudam a preservar o nosso planeta.

À medida que continuamos a enfrentar desafios climáticos, é imperativo que a inovação continue a ser incentivada e apoiada em todos os setores da sociedade, pois é através dela que poderemos alcançar um futuro mais sustentável e saudável para todos.

Image by macrovector on Freepik

 

Este site utiliza cookies. Ao utilizar este site está a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de Cookies .

Este website está registado em wpml.org como um website de desenvolvimento.